domingo, 23 de julho de 2017

ROLÂNDIA: AQUI TEM HISTÓRIA

DANIEL STEIDLE

ESCOLA DO KM. 10

REVITALIZAÇÃO DA ESCOLINHA DO KM 10... De lá vai sair, dia 27 de agosto, a II CAMINHADA DA INTEGRAÇÃO. O momento seria muito oportuno para anunciar um mutirão de esforços em restaurar este marco histórico e transformá-lo num MEMORIAL... Que tal ser parte desta história?

segunda-feira, 17 de julho de 2017

FUTSAL ROLÂNDIA ANOS 70 ( SÓ FERA )

ANOS 70.

VEMOS AQUI ODIR GIORDANI( TÉCNICO) IN MEMORIAM. 

JOGADORES:

GUSTAVO GIORDANI, ROBERTO E O ROBSON NEGRÃO, LUIZ E O JULINHO GUARIENTE, E O GOLEIRO GILBERTO VASCONCELOS.

FOTO By LUIZ CARLOS GUARIENTE

sexta-feira, 14 de julho de 2017

GILBERTO DE PAULA ( ROLÂNDIA )

ELIANE SCOMPARIM
Gilbertinho sempre gostou de velocidade, aventuras, de testar os limites, mas um Amigo com um coração enorme agora fica a saudade!

COMENTÁRIO:
Fui amigo dele tbm e posso confirmar. Uma pessoa leal e simples. Abraçava os amigos. Gostava de viver no limite. Era uma lenda em Rolândia nas décadas de 70 a 80. Descansa em paz meu amigo.
FARINA

terça-feira, 11 de julho de 2017

quinta-feira, 6 de julho de 2017

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DO CEBOLEIRO / ROLÂNDIA / PR. ( TRENS / FERROVIA )

FONTE:

ESTACOESFERROVIARIAS

Altitude: 769 m Inauguração: 01.01.1942
Uso atual: demolida com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d

HISTORICO DA LINHA: A E. F. Noroeste do Paraná foi aberta ao tráfego em 1925 ligando Ourinhos, na linha-tronco da E. F. Sorocabana, em São Paulo, a Cambará, no Paraná. Comprada pelos ingleses da Cia. de Terras do Norte do Paraná, teve seu nome alterado para E. F. São Paulo-Paraná. Prolongada até Apucarana em 1942 e povoando a região, virgem até 1929, foi vendida ao Governo Federal em 1944 e incorporada imediatamente à RVPSC. Foi prolongada, em diversas fases, até atingir Cianorte, em 1972, onde parou. O tráfego de passageiros, dividido entre os trechos Ourinhos-Maringá e Maringá-Cianorte, parou em 1981 no primeiro trecho, onde rodava com trens de passageiros que vinham de São Paulo, e um pouco antes no outro, onde trafegava em trens mistos. Atualmente circulam apenas trens cargueiros da ALL, atual concessionária, no ramal, e o trecho Maringá-Cianorte está abandonado.

A ESTAÇÃO: A estação de Ceboleiro foi inaugurada em no primeiro dia do ano de 1942. Era uma colônia húngara, inclusive o nome da localidade era, antes da 2ª Guerra, Bethlem, em homenagem a uma cidade do mesmo nome da Hungria. 

A estação já foi demolida há anos, e hoje existem duas plataformas abandonadas ao lado dos trilhos, uma perto da outra. Provavelmente, uma da estação e outra do armazém. 

A vila também ficou conhecida nos áureos tempos da ferrovia por ter um grande bordel. Fica hoje próxima à praça de pedágio existente na rodovia, entre Arapongas e Rolândia. 

(Fontes: Vastiler Horacio; Douglas Razzaboni; Folha da Manhã, 1/1/1942; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)

quarta-feira, 5 de julho de 2017

MARIO BARBOSA ( ROLÂNDIA - PR. )

FOI DONO DE UMA PEDREIRA EM ROLÂNDIA QUE FUNCIONAVA ONDE DEPOIS SE INSTALOU O CURTUME BERGER.  FOI  PRES.  DA ASS. COMERCIAL. PAI DO EX-VEREADOR NELSON BARBOSA E DO ADVOGADO NILTON BARBOSA.

FOTO CÓPIA By FARINA

DR. ANTONIO PINCELI ( ROLÂNDIA-PR. )

Foi advogado e contabilista em rolândia. décadas de 60 a 2000
Foi secretário da administração na gestão 1988 a 1992.
de saudosa memória
CÓPIA By FARINA.


sábado, 1 de julho de 2017

PERAZOLO NÃO DEIXOU INSTALAR PRAÇA DE PEDÁGIO EM ROLÂNDIA - PR.



09/01/1998


Arquivo FolhaPedágio ficará na altura do Contorno Sul, entre Cambé e Rolândia; prefeito quer mudá-lo para ArapongasO prefeito de Rolândia (25 km a oeste de Londrina), José Perazolo, se posicionou contra o local escolhido para construção da praça de pedágio na BR-369. O Consórcio Viapar, de Maringá, venceu a licitação para privatização da rodovia, que faz parte do Lote II do Anel de Integração. O local projetado para o pedágio fica a 300 metros do início do Contorno Sul (entre Cambé e Rolândia). Perazolo expôs sua opinião anteontem, durante reunião com representantes do Viapar, da Polícia Rodoviária e autoridades locais. 
‘‘Não somos contra o pedágio, mas contra os efeitos que ele terá sobre a população rolandense que, em grande número, trabalha ou estuda em outras cidades da região e será penalizada, diariamente, com o pagamento de tarifas nas viagens de ida e volta à cidade’’, reclamou. Perazolo pretende mobilizar os prefeitos da Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (Amepar) e deve discutir o problema, nos próximos dias, com o secretário de transportes, Heinz Herwig. 
Para Perazolo, o pedágio deveria ficar entre Arapongas e Rolândia, onde traria menos prejuízos para a população de Rolândia. ‘‘Há viabilidade do pedágio ser transferido, basta bom senso dos projetistas’’, entende o vice-prefeito João Dário. 
Mas a localização dos pedágios foi definida pelo governo do Estado, antes de submeter as rodovias à privatização. As obras deverão começar em três dias em Rolândia. Para a construção da praça de pedágio, o tráfego será desviado pela avenida presidente Vargas, trecho urbano da BR-369. 
Na reunião, os diretores do Viapar se comprometeram em recuperar a rodovia no perímetro urbano, durante e depois da utilização do trecho para desvio do tráfego. A empresa garantiu ainda um processo de geração de empregos e fomento para indústrias locais. 
Nesta primeira fase, uma empresa de Rolândia foi contratada para fornecer estruturas de pré-moldados. ‘‘A população ainda será beneficiada com rodovias em perfeitas condições, equipadas com paramédicos, ambulâncias, guinchos e telefonia’’, afirmou o representante da Viapar Frederico De La Roque. 
Para esclarecer as dúvidas do prefeito, a Viapar marcou uma nova reunião em data ainda não definida. A empresa admite a possibilidade de oferecer tarifas diferenciadas.


Luciane Tonon

sexta-feira, 23 de junho de 2017

quinta-feira, 15 de junho de 2017

DETALHES DA ESTÁTUA DO ROLAND DE ROLÂNDIA - PR.

















HISTÓRIA DO RÁDIO EM ROLÂNDIA By TARCÍSIO MARTINS

Li o relato de Murilo Ferri, que conheci pequeno, assim como seu irmão, sua irmã e seus pais. sobre seu trabalho na Radio Rolândia.. Também trabalhei ali. E criei a frase que quase me deu a demissão, no primeiro momento, mas depois ficou como marca registrada. ZYS31 Radio Clube de Rolândia 1 kilo na antena, falando, para o Paraná, Brasil  e o  mundo... Na época, acredito que entre 1.957 a 1959, os proprietários eram os Dandreas, pai e filho, e o Senhor Amadeu Puccini.  Funcionava na Av. Expedionários,  quase na frente da farmácia . As quintas feiras eram realizados os ensaios para os calouros que iriam se apresentar, caso fossem classificados, no programa das tardes de domingo. Tanto na quinta como no domingo, o auditório ficava lotado, o pessoal se espremia no fundo e nos corredores. Era uma festa.  Aos domingos a radio apresentava a dupla Joãozinho e Lindinha, que para bem da verdade, eram feinhos, mas pessoas divertidas, simples, por isso muito queridos pelos fãs, seguramente a dupla mais famosa da região.  Recebíamos centenas de cartas pedindo nossas fotos. Eu era o locutor oficial da noite, Ciro  Fiala, era o sonoplasta... Formávamos uma boa dupla, e nos divertíamos muito. Ciro foi para Florianópolis, chegou a cabo  e acabou jogando em um dos times da capital de Santa Catarina. faleceu cedo. Vivenciamos algumas estórias que até hoje me faz rir: Em um dos ensaios de calouros em uma certa noite de quinta feira, saiu da plateia, um moreninho magrinho, todo empertigado, bem arrumado,  falando bem. Dandrea filho, apresentador, sabia tudo, ou achava que sabia tudo sobre musica. O que o ilustre vai apresentar? Vou cantar Adeus. Dandrea: Adeus cinco letras que choram, musica e letra sucesso imortalizado na poderosa voz do saudoso Francisco Alves. É esta mesmo? Ato continuo,   o conjunto fez a introdução, e o garoto, dizendo, ADEUS, ADEUS ADEUS, começou a abanar a mão foi  se mandando para  o fundo do auditório, Dandrea desesperado, volta, volta, e o garoto completou, adeus. adeus  e sumiu.   O auditório em peso chorando de tanto rir.. era o Dandrea começar a falar que o publico começava a rir, tivemos de encerrar o ensaio.    Ao que parece o moreninho tinha feito uma aposta com seus colegas que faria isso.  - A Rádio comprou um gravador GELLOSO- duas pistas, branco, lindo... um luxo para uma emissora do interior.  Os Dandreas foram para Guaraci gravar em um circo, um show da famosa dupla CASCATINHA E INHANA.  A dupla autorizou a gravação. Passamos a semana fazendo a chamada para que ouvissem o show da dupla.. ninguém ousava ligar o aparelho. Fomos convocados para uma reunião no escritório para sermos os primeiros a ouvirmos o som do famoso gravador italiano... Foi um fiasco, uma decepção... Rolândia a ciclagem era 60 KVA, enquanto a ciclagem da eletricidade da cidade de Guaraci era de gerador, portanto ciclagem 50 KVA...  diferente... A gravação ficou imprestável, uma lastima. Tempo e dinheiro perdido, mais ainda a explicação para a não apresentação do esperado show.  Barbosa era um diretor preguiçoso, fazia a relação de musicas para cada dia da semana, de apenas um mês, e a mesma lista era repetida em todos os meses.. Mais de cinco mil LPs e o homem usava alguns poucos. Seus textos de propagandas eram extensos e chatos... Comecei a mudar a programação e o modo de apresentação, mais musica e textos enxutos. E ao final de duas ou três musicas, dizia que aquele bloco tinha sido uma oferta dos seguintes patrocinadores.. Fui chamado no escritório e o Dandrea Filho, disse: Sr. Tarcisio tem que entender que a Rádio vive de propaganda não de música... Sr. Dandrea ninguém fica ouvindo apenas propaganda, o que o Senhor Acha. Pois é, eu acho que ficou   bom, mas não seria interessante, duas  musicas ao invés de 3???  Vamos tentar..  Assim foi feito..

A cada mês recebíamos  um long play finíssimo e enorme, 30 minutos de gravação de um único lado, um show, ou parte de um show de alguma rádio americana... Ciro colocava o disco no prato, eu fazia a apresentação e descíamos para tomar um café que ficava na parte de baixo da rádio. Certa noite assim que chegamos e pedimos o café começamos a ouvir shlap, shlap, shlap.. Oh Tonico, vai lá...  arruma ou para essa coisa, seu disco está riscado.. Que nada, eu não tenho radiola, estava ouvindo um programa americano muito bom, e ai deu esse problema... Eu e o Ciro disparamos para fazer o show continuar e rezando para que o Chefe não estivesse na escuta aquela noite.  Dandrea conseguiu contratar um dos melhores locutores esportivos do interior para transmitir os jogos do NACIONAL ATLETICO CLUB, NELO GAINET, uma figura, pessoa educada, muito bem informada, divertida e sem afetação alguma, apesar do seu currículo e fama, procurava nos incentivar e nos ensinava técnicas de respiração, técnica de  dicção,  enfim era um professor nato. Não tinha horário, mas adorava a rádio. Foi contratado pela Rádio Alvorada de Londrina, disse-nos que a oferta era irrecusável.. Uma pena, mais tarde Londrina começou, também  a desmontar bom  time do Nacional. Eu o Ciro, nos divertíamos emendando e misturando as palavras, assim VITÓRIO CONSTANTINO, advogado e diretor do Ginasio Estadual de Rolandia, transformava-se  ou virava VITINO CONSTANTÓRIO. O mesmo fazíamos com as propagandas extensas escritas pelo Barbosa. Camisas e mais camisas, casas PERNAS BACANAS, avenada Interventiba Manoel Ror. Entre outras.. Os Cassetas apenas tiveram a sorte de aparecerem na televisão muitos anos depois.. Ciro pediu para treinar locução, naquela época sem fita cassete, ele era o sonoplasta.  Pedimos autorização da chefia e começamos trocar as posições, ele na locução e eu na  sonoplastia, e foi justamente na propaganda das casa Pernambucanas que aconteceu o desastre.. Ciro soltou a nossa frase completa e não aguentou soltou a maior risada e eu não fui rápido o suficiente para impedir que a mesma fosse ao ar. Dandrea, Amadeu Puccini, Barbosa, todos sintonizados na rádio para ouvir o teste do Ciro. A carreira de locutor quase acabou ali. Foi bronca de todo lado, mas o Ciro acabou sendo contratado porque o locutor da tarde mudou para outra cidade. Passei no vestibular e deixei a rádio, para ser mais tarde professor de Geografia. Foram bons tempos. Gostei do trabalho, tínhamos um excelente convívio, me diverti muito.  O relato pode não ter muita graça hoje para quem Lê, mas foram de fato verdadeiras piadas que nos fez rir muito. E marcaram minha vida para sempre, são parte da minha história vivida em Rolândia, cidade onde cresci, passei a juventude, encontrei minha parceira, Irene ali na frente da casa dos FERRI cidade  de minha família e de amigos verdadeiros e queridos. Amo Rolandia. TARCÍSIO MARTINS

NOTA:

O autor é filho do saudoso Senhor Martins, pioneiro de Rolândia, que possuía uma livraria onde hoje funciona a Funerária Bom Pastor. Ele é professor aposentado em Londrina, onde reside.

COMENTÁRIO:

Li com muito interesse o depoimento do (ainda chamo assim) Professor Tarcísio, do qual fomos alunos no Colégio Santo Antonio. Desconhecia sua passagem pela Rádio e me orgulho em saber que fomos colegas, anda que separados pelos anos. Sua cunhada Claudete é minha amiga no Face. Muito bom sabê-lo saudável e feliz por ter compartilhado boas lembranças! MURILO FERRI


segunda-feira, 5 de junho de 2017

VÍDEO DE JOSÉ CARLOS FARINA RECEBE ELOGIO ( FÁTIMA DE PAULA )

O Sr. Plácido Arrabal, é Sobrinho da Minha Mãe Hermínia Herrero de Paula. Muito Legal Seus Vídeos. Tem Lugares aí em Rolândia, Que eu Nem Conhecia  e vejo através dos seus Vídeos.... Parabéns pela Sua Iniciativa.... Abraço..... FÁTIMA DE PAULA
É ESTE O VÍDEO COMENTADO.

IGREJA DO JABORANDI ( ROLÂNDIA - PR. ) AINDA ESTÁ DE PÉ

FOTOS By JOSÉ CARLOS FARINA

COMENTÁRIO RECEBIDO:


Eu era de São Martinho, mas conhecia bem essa comunidade. Tinha muitos amigos aí. O sentimento é de tristeza ao ver a igreja assim... muita saudade...  tempo bom de viver.  Era uma região muito rica. Ainda é... Muita famílias viveram ali. EZEQUIEL CAMPANER.

RESPOSTA:
Esta igreja foi construída no final da década de 30 né? Foi construída ao lado da fazenda do Sr. Antonio de Paula. Um dos "de paula" (pai do Dorval )  foi proprietário da venda né? Havia tbm uma escola. O ex-prefeito Zé  Perazolo nasceu aí perto... perto daí tbm viveu a família do Sr. Zé Sella... FARINA



















































quinta-feira, 1 de junho de 2017

FOTO ANTIGA DO NAC NACIONAL DE ROLÂNDIA - PR. E BANCÁRIOS

FOTO CÓPIAS By JOSÉ CARLOS FARINA
















JUNIORES DO NAC NACIONAL DE ROLÂNDIA, ANOS 60.
VEMOS AQUI JOEL, ADEMAR, JURA, ZAGUI, LIBERATTI, VALE E MESSIAS.
















TIME DO BANCÁRIOS, MT FAMOSO NOS ANOS 60 a 80.
VEMOS AQUI, CARIOCA, DORVALINO, RENO, ZAGUI, MESSIAS, BARRICA, MIUDO, TICÃO, ODIR  E LIBERATTI.














































IDEM.. BANCÁRIOS...
















BMNCÁRIOS.
VEMOS AQUI TICÃO, JUQUITA, JURA, BARRICA, ODIR, RENO
















terça-feira, 30 de maio de 2017

ROLÂNDIA NORTE DO PARANÁ NOS ANOS 60 e 70

QUASE TODO MUNDO TINHA UM
MINHA MÃE TINHA.
SAUDADE.
O CHEIRO BOM NÃO SAI DO CÉREBRO
O DURO É QUE DE VEZ EM QUANDO UMA GATA CISMAVA EM DAR CRIA DENTRO DELE.
AÍ TÍNHAMOS QUE FAZER AQUELA LIMPEZA ESPECIAL.
ADIVINHEM QUEM SEMPRE SAIA NAS DATAS VAZIAS ATRÁS DE GANCHUMA PARA CONFECCIONAR A VASSOURA QUE VARRIA O FORNO??
AS VEZES A MINHA MÃE FAZIA PÃO COM TORRESMO... NEM CACHORRO COMIA... NÃO SOBRAVA NEM FARELO.
NAS FESTAS DE FINAL DE ANO ERA DAQUI QUE SAIA OS FRANGOS, PERNIS E LEITOAS ASSADAS...
DELÍCIA...
PARECE QUE O SABOR ERA MUTO MELHOR...
COMPARADO COM AS CARNES ASSADAS DE AGORA.
COMO QUASE TODO MUNDO TINHA UM DESTES FORNOS, COM O TEMPO COMEÇOU A FALTAR  GANCHUMA NAS DATAS VAZIAS, AÍ MINHÃ MÃE COMEÇO A USAR OUTROS MATOS. MAS LEMBRO QUE ELA FALAVA QUE VASSOURA BOA É A DE GANCHUMA.
FARINA




MUNDÃO VÉIO SEM PORTERA.

Quem já comeu pão assado assim?

É bom né!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

ETTORE e THOMAZIA MARTINI ( SÃO MARTINHO / ROLÂNDIA - PR. )

meus avôs faziam muita caridade e ajudavam quem necessitava. quando o Bradesco entrou em falência em Rolândia foi ele que salvou o banco. pessoas que tinham filhos com doença mental ficavam sobre os cuidados de meus avôs que davam tratamento sem cobrar nada. eles foram uns dos primeiros pioneiros de Rolândia. quem trouxe depois as famílias Serpeloni , Tolari , Leonardi, entre outras famílias de origem italiana para o norte do Paraná. seus nome é Ettore Martini e Thomazia . EUZEBIO DENNER

terça-feira, 16 de maio de 2017

ESTOJO DE APLICAR INJEÇÃO ANOS 50 a 70

um pé na roça

QUEM LEMBRA DESSE ESTOJO DE APLICAR INJEÇÃO?? AS AGULHAS E A SERINGA ERAM REUTILIZÁVEIS....

foto Francisco Rossi